Fale conosco pelo WhatsApp

Para que serve o peeling?

Mulher deitada antes da realização do peeling

O procedimento pode ser utilizado para clarear manchas e cicatrizes de acne, além de atuar no tratamento de rugas e linhas de expressão

O peeling é um procedimento que tem como objetivo renovar as células da pele por meio da descamação. O próprio nome do procedimento é derivado da palavra inglesa “peel’’, que significa descamar ou descascar.

Destaque como um dos tratamentos mais procurados pelos pacientes, o peeling é um procedimento não invasivo e muito eficaz para rugas, manchas, marcas de expressão, acne e cicatrizes. Além de ser um tratamento para flacidez e sinais de envelhecimento precoce.

Como é feito o peeling?

O procedimento consiste na remoção das camadas superficiais da pele, utilizando produto físico, químico ou laser.

Por meio do procedimento leva à destruição controlada de uma parte ou de toda a epiderme, levando a esfoliação e remoção de lesões superficiais, e posteriormente será formado um novo tecido epidérmico. Com isso, a pele se renova e fica mais resistente, pois há a estimulação da produção de colágeno.

Em quais partes do corpo pode ser feito o peeling?

A área mais comum em que o procedimento é realizado é o rosto. Porém, o peeling pode ser feito em outros locais do corpo — como o colo — para tratar sinais de envelhecimento.

Pode ser feito também no glúteo, por ser uma área que contêm estrias. Para que o resultado seja o esperado pelo paciente é importante que haja uma avaliação criteriosa feita pelo médico dermatologista para que seja indicado o melhor e mais eficaz tipo de peeling para região desejada.

Tipos de peeling

Existem alguns tipos de peeling, tais como: o físico, químico e o peeling a laser. Entenda melhor sobre as características de cada um deles a seguir:

  • Peeling químico: o procedimento consiste no uso de produtos químicos, como ácidos, para que haja a descamação da pele. Alguns dos ácidos utilizados são: ácido tricloroacético , ácido retinóico, ácido salicílico e ácido glicólico;
  • Peeling físico: o procedimento consiste em métodos físicos que são utilizados para descamação da pele, como a esfoliação, que resulta na dermoabrasão. Alguns exemplos de peelings físicos: peeling de diamante e peeling de cristal;
  • Peeling a laser: o procedimento utiliza aparelhos a laser, que aquecem a pele de dentro para fora, estimulando a troca de células da pele, sem que haja irritação ou descamação.

Quais são os benefícios do peeling?

Cada caso deve ser avaliado por uma médica dermatologista, para que possa ser indicado o melhor tipo de peeling. São diversos benefícios que o peeling pode oferecer, dentre eles estão:

Tratamento de manchas e melasmas;

  • Prevenção de acnes e cravos;
  • Diminuição de rugas e manchas mais profundas na pele;
  • Promover firmeza a pele;
  • Combate a flacidez.

Quais os cuidados necessários no pós-operatório do procedimento?

Vale ressaltar que, durante o tratamento, a proteção contra o sol é obrigatória. Ao afinar a pele, a pele se torna mais sensível e exposta aos raios solares. Por esse motivo, a proteção solar é indispensável. O recomendado é aplicar filtro solar na pele de 2 em 2 horas.

Além disso, não é indicado puxar ou coçar a pele que está se descamando para evitar a formação de cicatrizes. O uso de produtos com Vitamina C também é muito importante na recuperação.

Após o procedimento ser feito, os médicos dermatologistas indicam a utilização de sabonetes neutros e cremes para manter a pele sempre hidratada. A pele também precisa estar fortalecida, o que pode ser feito por meio do uso de diversos produtos recomendados pelo dermatologista.

Os cuidados variam de acordo com o tipo de peeling feito e, por isso, é importante seguir as indicações do seu médico dermatologista.

Quais são as contraindicações do peeling?

O peeling não é indicado para atletas, pois possuem baixa fotoproteção. Além disso, o procedimento é contraindicado para pessoas que estão fazendo tratamentos com isotretinoína, por conta da diminuição do metabolismo tecidual, em que o uso de retinoides sistêmicos aumentam a formação de colágeno e reduzem a produção de colagenase — a enzima que degrada o colágeno, fazendo com que possa surgir uma cicatriz hipertrófica.

Mulheres que utilizam métodos anticoncepcionais também precisam informar ao seu médico dermatologista para que o profissional avalie se isso pode interferir no procedimento ou não. Quer saber qual melhor tratamento e o mais adequado de peeling para você? Entre em contato com a clínica dermatológica da Dra. Nídia Lima e agente sua consulta!

Fontes:

Sociedade Brasileira de Dermatologia;

Dra. Nídia Lima.

 

Ao clicar em enviar os dados, você concorda com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE